domingo, 30 de setembro de 2012

CICLISTA DE PERUÍBE IGNORA PLACA COM AVISO MAIS QUE ADEQUADO






Vi essa cena patética lá na rodoviária. Dizer o quê? Coisas de Peruíbe.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

PREFEITA DE PERUÍBE ESTÁ COM 36% DAS INTENÇÕES DE VOTO



IPAT mostra candidata Milena Bargieri com 36% dos votos 

Da Redação 

A menos de duas semanas para as eleições municipais, um novo cenário político surge em Peruíbe, conforme o mais recente levantamento de intenções de voto feito pelo Instituto de Pesquisas A Tribuna (IPAT). Na última rodada de entrevistas realizada com eleitores da Cidade, a atual prefeita, Milena Bargieri (PSB), lidera a disputa pela cadeira do Executivo com uma vantagem de mais de dez pontos percentuais em relação à segunda colocada, Ana Preto (PTB). 

Segundo a pesquisa, Milena Bargieri tem 36,7% das intenções de voto, seguida por Ana Preto, com 26,5%. A vereadora Onira Betioli (PT) tem a preferência de 18,3% do eleitorado. O índice de brancos e nulos é de 7%; não souberam responder 11,5%. 

Os percentuais referem-se à pesquisa estimulada, quando é apresentado aos entrevistados um disco com os nomes das candidatas. O levantamento foi encomendado por A Tribuna e realizado no dia 24 deste mês, com 600 eleitores do Município. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada junto ao TRE/SP com o número 01252/2012.

 Comparação 

Em relação ao levantamento anterior, realizado em julho, Milena Bargieri e Onira registraram aumento nos índices, enquanto Ana Preto teve queda. A atual prefeita tinha 30,7% e estava empatada tecnicamente com Ana Preto, à frente com 33,6%. Já Onira possuía 9% das intenções de voto. 

Milena Bargieri também lidera na pesquisa espontânea – quando os entrevistados falam suas preferências sem a apresentação dos nomes das candidatas. A atual prefeita tem 27,5% das intenções de voto, seguida por Ana Preto, com 20% e Onira, com 11,1%. 

Dessa vez, o IPAT também quis saber quem os moradores acreditam que irá ganhar o pleito de 7 de outubro, independentemente de sua preferência. Nesse caso, Milena Bargieri e Ana Preto aparecem tecnicamente empatadas, com 31,4% e 32,9%, respectivamente; e 6,2% dos entrevistados apontam que Onira vencerá. 

Idade e dinheiro 

No cruzamento dos resultados da pesquisa por idade, Milena Bargieri e Ana Preto têm a melhor votação entre os eleitores de 16 e 17 anos (44,4% cada uma delas), enquanto Onira registra a preferência dos que estão na faixa etária dos 25 aos 34 anos (25,2%). 

Quando se considera a renda familiar mensal, Milena Bargieri tem seu melhor desempenho entre aqueles que ganham mais de R$ 8 mil (66,7%), assim como Ana Preto (33,3%). E Onira se sai melhor entre aqueles que recebem de R$ 4 mil a R$ 8 mil (31,8%). 

No quesito religião, Milena Bargieri tem melhor desempenho entre os espíritas kardecistas (48,6%); Ana Preto, entre os católicos (30,1%); e Onira, entre os evangélicos não pentecostais (24,1%). 

PTB/PV devem ter até quatro cadeiras 

Como tem sido feito nesta última rodada de pesquisas de intenção de voto na Baixada Santista, também em Peruíbe o IPAT realizou uma estimativa de como ficaria a composição da Câmara de acordo com as coligações partidárias. 

O cientista político e coordenador do instituto, Alcindo Gonçalves, adverte que se trata de uma estimativa, que não tem a margem de erro estatística da pesquisa – de quatro pontos percentuais –, calculada com base nos votos válidos dados a candidatos e partidos. 

Como se trata de uma amostra com 600 entrevistas, das quais apenas 49% representam votos válidos, o cálculo feito aponta para uma estimativa e não uma projeção segura. 

Projeção 

A coligação PTB/PV poderá ficar com três ou quatro cadeiras no Legislativo, seguida pela coligação PPS/PSDB, que poderá ter três. PP/PMDB/PTC/PT do B e PDT/PR poderão ocupar duas cadeiras cada coligação, enquanto a PRB/PSB/PRP poderá ficar com duas ou uma vaga. As coligações PT/PSD, DEM/PRTB/PC do B e PSDC/PPL poderão ficar, cada uma delas, com uma cadeira na Câmara. Já o PSC e a coligação PSL/PTN/PHS/PMN/PSOL não atingiriam o quociente eleitoral e, portanto, não elegeriam vereadores. 



 

sábado, 22 de setembro de 2012

MAIS MUSICA ÉPICA: PROTECTORS OF THE EARTH







Como é bom ver uma derrota das trevas.

sábado, 15 de setembro de 2012

SOU VIZINHO DE UM BAR BARULHENTO



Sou vizinho de um bar barulhento. Noite de sábado, madrugada de Domingo começando, e o barulho não tem fim. A temporada de verão nem começou em Peruíbe, e um bocado de gente chata bebendo e escutando canções horríveis em um som altíssimo.

Que se dane se é um fim de semana. EU TENHO DIREITO A DORMIR !!! BANDO DE FOLGADOS !!! Comportamento típico de muitos peruibenses hedonistas, que agem como se a vizinhança fosse desabitada. Enquanto você fica nessa diversão noite adentro, tem alguém que quer descansar. Simples assim.

Engraçado que a maioria dos fregueses desse estabelecimento são eleitores da cidade, os quais vivem berrando contra os problemas peruibenses ... e eles mesmos contribuem para alimentar um problema local.


terça-feira, 11 de setembro de 2012

ACORDE E REAJA, PERUIBENSE OPRIMIDO!


Não sei se será hoje, amanhã ou depois. Não sei se vai ser no dia 7 de outubro ou em algum dia do mês seguinte. Não faço ideia de quando será. Mas sei que é inevitável. E digo que para você será  um acontecimento fundamental e  necessário. Farto, exausto que está de esperar por melhorias, obedecendo, confiando, acreditando um sem número de vezes, em cada ano de eleições municipais, para mais tarde se sentir enganado.

Mas a verdade é que este dia não chegará por si. Será preciso que você reconheça um fato: Peruíbe, por incrível que possa parecer, ainda não desceu ao fundo do abismo, algo que nem eu pretendo testemunhar. Se você é daquele grupo que eu foco neste blog, a turma que se sente desterrada na própria terra, o que está esperando? O que te impede de chegar a esse dia?

 O dia, esse dia ao qual me refiro, é o do teu despertar para a revolta. Escrevo sobre uma revolta de foco individualista, do reconhecimento que antes de se crer em um futuro melhor nesta cidade, não é incorreto pensar em um futuro melhor em outro lugar. A Peruíbe maravilhosa de que nos falam com belos discursos, a Peruíbe de sonho, aquela cidade utópica que nos apresentam eleição após eleição, tem sido o nosso pesadelo. É isto que temos. 

Se você é um peruibense oprimido, empobrecido e tecnicamente falido (eu já fui tudo isso) mate de uma vez a esperança de que a salvação (para o município e para você) virá com esta eleição. 

Acorde e reaja, peruibense oprimido. Vá cuidar da própria liberdade.


Entendam o vídeo abaixo como quiserem:



terça-feira, 4 de setembro de 2012

DESCENDO MAIS FUNDO NO BUNKER, DE NOVO, POR QUESTÃO DE SEGURANÇA



Pois é .... setembro chegou, as eleições municipais estão mais próximas, e eu não sou UM PERUIBENSE INGÊNUO. Este blogueiro tinha começado a abordar algumas questões políticas, de maneira bem tranquila. Eu ia com cuidado e moderação mas então ... resolvi me refugiar em um compartimento mais profundo do bunker.

Não entendeu a parte de eu não ser um "peruibense ingênuo"? Espere pelas novas confusões que ocorrerão ainda neste mês em Peruíbe, e entenderá. Vou ficar quietinho aqui dentro, e estou  me lixando se tem gente que acha que eu deveria "lutar pela cidade". Que lutem por ela ..... E NÃO ME ENCHAM O SACO.

Mas aqui nas profundezas  não é monótono. Dá pra se divertir. Vejam só essas moças da Moranbong Band. Sim, é música Pop da Coréia do Norte, mas e daí?



canção legal, não é mesmo?

domingo, 2 de setembro de 2012

PROPAGANDA ELEITORAL




Não sei se sou somente eu que já não consigo mais acreditar ou se, de algum modo, meu pensar reflete o sentir de mais pessoas. O fato é que simplesmente não consigo mais dar crédito às promessas políticas em tempo de campanha eleitoral. Aliás, como se diz por aí, de promessas o inferno está cheio. Todos os anos é a mesma lenga-lenga, a mesma história, os mesmos salvadores da pátria… 

 O fato é que, entra ano e sai ano e muito pouco muda de efetivo. Alguma coisa deve estar errada, não é possível. Do alto da minha ignorância, fico imaginando por que razão uma pessoa que já ocupou “n” cargos políticos de destaque, garante que dessa vez vai fazer tudo o que o País, o Estado ou o município precisam, quando, em tantos outros anos, pouco fez disso tudo. 

 São sempre as mesmas caras a dizer sempre a mesma coisa. Prometem, prometem, mas pouco cumprem. Parece-me que a palavra e o comprometimento se perdem em meio a outros interesses pessoais. Isso sem contar as recorrentes denúncias de fraudes, simulações, apropriações indevidas e mais uma escória de práticas deploráveis. É claro que não estou dizendo e nem poderia sem conhecimento profundo de causa, que não há exceções, que não há quem faça ou que seja honesto e sério, mas que a imagem política não anda das melhores, isso não anda. 

 O que me cansa é ouvir plataformas popularescas, muitas destituídas de fundamento, eis que o candidato promete uma coisa que não está nem remotamente dentre as competências do cargo que almeja. Mas mesmo assim, promete. Sempre haverá a ignorância crédula para servir a tais propósitos. E o pior, são promessas já feitas que beiram o nível da “paz mundial”… 

 Outra coisa que me faz refletir é que, via de regra, as promessas parecem apenas se voltar a uma parte da população. Serão doze milhões de creches, haverá o programa mamãezinha brasileira, leve isso, tome aquilo, além de infinitas vagas para o trabalhador. Ninguém fala da classe média, aquela que paga muito imposto, não manda dinheiro para paraísos fiscais, não tem casa no exterior para passar as férias, mas que também carrega sua parcela de Brasil nas costas. 

 Antes que me queiram linchar, já adianto que não sou contra o assistencialismo. Só acho que dá forma como é implementado nesse país, serve muito mais para produzir massa de manobra política e social do que qualquer outra coisa. Não é necessário ser um cientista político para saber que apenas dar coisas, sem educação de qualidade, sem dar opções para uma vida nova, sem qualificar as pessoas, não resolve os problemas sociais que vivenciamos. Essas medidas paliativas, eleitoreiras, popularescas, cansam e desanimam as poucas pessoas que ainda tem esperanças de viver para verem um país melhor, digno e expurgado da bandidagem, de baixo e alto escalão. 

 O pior é que, ainda que as campanhas, sobretudo se voltem à parcela mais carente, não são esses os finais beneficiários. Quando se descobre, não foi o pobre povo, ludibriado, que embolsou milhões e quintuplicou patrimônio. Uma vez mais, as pessoas continuam sem ter escola decente para seus filhos, caso não possam pagar uma particular; uma vez mais ficam sem trabalho, sem opção, sem esperanças. 

 Pena, tão somente, termos memória política fraca e curta. Das duas uma: ou somos muito crédulos, ou muito levianos. Não sei, de fato. Só sei que, de minha parte, reservo-me o direito a dizer que não acredito mais em conversa mole, em candidatos que sequer se lembram de que a classe média existe e que está insatisfeita com os rumos que esse país vem tomando…

Cinthya Nunes Vieira da Silva é advogada, mestra em Direito, professora universitária e escritora – São Paulo.


Fonte: BLOG PAZ


Comentário: este blogueiro de Peruíbe encontrou o texto acima por acaso, e espero que ele ajude de alguma forma o eleitorado peruibense em suas escolhas nas próximas eleições municipais.

Assim espero.