quinta-feira, 16 de setembro de 2010

CIDADE PRAIANA ESNOBADA





Apesar da beleza, não há muito o que se observar, se não considerarmos as ilhas. Falo de uma paisagem marítima que de vez em quando manda suas ondas sobre a areia, ondas que molham o limite oriental do nosso território. O peruibense que aqui escreve jamais viu algum veleiro, lancha ou um transatlântico - claro que esse também não - nessas águas, frequentadas por barcos de pesca artesanal, os quais foram no passado a principal fonte de riqueza. No verão as praias são cobiçadas pelos banhistas de fora, o que garante a lotação de pousadas, hotéis e restaurantes. 

É durante os meses de veraneio em que a avenida da praia, batizada de Governador Mário Covas, entra na sua maior atividade, quando convivem lado a lado turistas se divertindo e moradores lutando pelo pão de cada dia. Mas a questão é que todo esse "agito" acontece em uma faixa bem restrita, simplesmente não se estendendo para os limites que as nossas vistas alcançam, quando olhamos para o oceano. Por qual motivo os ricos que adoram Guarujá ou Ubatuba não frequentam a nossa costa com as suas embarcações? O que impede esse grupo seleto - que gasta muito - de nos visitar com os seus iates? Eles não gostariam de comer o nosso mais novo prato "típico", o CAÇÃO À PERUÍBE? A presença deles faria uma grande diferença para a sobrevivência de muitos por aqui, pois a classe AAA dinamiza a economia dos municípios que eu mencionei.

Essa turma privilegiada não esnoba Peruíbe por "preconceito". O simples fato de aqui não existir uma Marina mantém esses visitantes - e a grana deles - longe daqui. Um certo sujeito, creio que a uma década atrás, prometeu que depois de eleito ergueria esse tipo de centro portuário, o que colocaria nosso lugarejo em um nível superior no turismo litorâneo. Até hoje aguardo com curiosidade pela implantação dessa ideia.


MARCADORES: PERUÍBE, PERUIBENSE, LITORAL PAULISTA, BAIXADA SANTISTA, TURISMO, VERANISMO, ECONOMIA, OPORTUNIDADES



6 comentários:

Marcelo disse...

Pois é. Falou e disse. Percorri toda a costa de Portugal. Um país pequeno, sim. Mas com um litoral bonito. E em toda vila, uma Marina. E ao redor da Marina, progresso. Movimento o ano todo. Hotéis de luxo e comércio farto. Grande infraestrutura. Estacionamentos subterrâneoas. Praças e passeios de barco. E por aí vai. Seja numa vilinha de pescador, seja no famoso e badalado Algarve, seja aqui onde eu estou, no meio do Oceano Atlântico, arquipélago dos Açores, na cidade de Ponta Delgada onde fizeram as |Portas do Mar, marina, porto, galeria comercial e anfiteatro subterraneo a beira mar. Quem mexe com turismo devia antes ver essas coisas.

Marcelo disse...

Ah sim, Marina foi (é) uma das eternas promessas do Gilson.

Disse com todas as letras em uma entrevista na Juréia Fm que não terminava seu mandato sem encaminhar a contrução de uma Marina... e fez uma mini cais de madeira embaixo da Ponte do Rio Preto... aheuaehaeu

Breno marlen disse...

"Hotéis de luxo e comércio farto. Grande infraestrutura. Estacionamentos subterrâneoas. Praças e passeios de barco. E por aí vai."

Pois é, Marcelo. Sei lá, um investimento como esse seria elevado, de fato, mas o retorno viria a longo prazo. Acho que muitos ganhariam, incluindo aí comerciantes graúdos que adorariam ver visitantes endinheirados visitando esta cidade. É uma questão de visão.

M Lucciano disse...

Concordo com os comentários acima, o que não podemos esquecer é que mesmo estando a 140km da maior metrópole do pais ou até mesmo da América Latina, temos um comércio bem fraco despreparado,comerciantes sem nenhuma preocupação em se modernizar e melhorar o atendimento(só reclamam),no caso da marina, porque um empresário investiria uma quantia considerável em um imóvel na cidade se não tem praticamente nenhuma opção de lazer a altura do seu padrão social, rico não quer saber de ficar na praia tomando sol no meio do povão, querem é expor sua grandeza seu status, e como fazer isso em Peruíbe? Apenas desfilando seus carrões em meio a tantos corsas, pálios, celtas e daí por diante, ou simplesmente tomando uma cerveja em um dos quiosques sem nenhum atendimento diferenciado! com certeza não é o que querem.

M Lucciano disse...

Não me expressei bem no caso da marina, seria um excelente atrativo para estes endinheirados vir para Peruíbe, mas pelo andar das coisas é um projeto praticamente impossível.

Aproveitando para parabenizar o autor do Blog, muito interessante e útil.

Peruibense rebelde disse...

M Lucciano

de fato, se trata de um projeto impossível na atualidade, se considerarmos a falta de visão dos que nos governam. Veja só, eu nem estou falando da oposição de ongueiros e do IBAMA.

"temos um comércio bem fraco despreparado,comerciantes sem nenhuma preocupação em se modernizar e melhorar o atendimento(só reclamam)..."


E ainda tem isso, falta de atrativos para os mais ricos, mas são questões que podem ser resolvidas...se tivermos uma liderança política disposta a encarar esse desafio.